Tuesday, February 19, 2013

"Cavalheiros" do Zodíaco - Os librianos contra-atacam"


by Pedro Tolentino

Orgulho de ser libriano!!!
Bom, a primeira coisa que tenho a dizer é que não entendo absolutamente nada de astrologia, horóscopo, mapa astral, bola de cristal, borra de café ou qualquer coisa do gênero.

Nasci em 28 de setembro. Sou, portanto, libriano.  Ser “de Libra” era apenas mais um dado quantitativo, relacionado com a data de nascimento.  Eu achava até legal ser de Libra, pois era a moeda britânica, moeda forte, tinha até a Rainha estampada nas cédulas.  Logo na infância, antes do real, uma Libra devia custar uns CX$ 1.298.083.093,32 (esse “X” no CX$ tá aí porque em meados da década de oitenta cada ano tinha uma moeda diferente).  Enfim, eu era de Libra, a moeda forte, e estava feliz com isso.


Na real eu tinha preconceito contra poucos signos.  O pior, sem dúvida, era “Câncer”, imagina que deprê, a pessoa mal nasce e já falam:  fulaninho é “de Câncer”.

-       - Cara, me fala uma coisa, qual teu signo?
-       - Câncer
-       - Putz, meus pêsames brother, é muito grave?
-       - É, sou Câncer com ascendente em Câncer…
-       - Puta cara, vou rezar bastante por você, força aí
-       - Valeu velhinho


Fora Câncer, na adolescência, eu dava graças a Deus por não ser "Virgem".  Como na adolescência masculina (pelo menos na minha época), ser virgem no sentido sexual da coisa era o maior mico, o fato de ser virgem no sentido astrológico o tornava alvo de piadinhas babacas (coloquei um link no final do post para um texto do boraver que fala sobre a babaquice de um modo geral, caso queiram aprofundar-se no assunto).  Por razões futebolísticas, também não queria ser "de Leão", pois o leão é o mascote do Sport, arqui-rival do Náutico, meu time do coração.

Enfim, como escapei dos três signos indesejáveis segui minha vida sem pensar muito no assunto, até recentemente.  Eu não sei porque, mas mulher quando passa dos 30 começa a falar de horóscopo. Em alguns momentos a mesa redonda astrológica pode durar horas e ocupar uma parcela considerável do tempo dedicado a uma programação barzinho / restaurante.  Durante a discussão os homens, visivelmente deslocados, tentam em vão mudar de assunto.

O fato de ficar sobrando em conversas de mesa de bar foi o que começou a me incomodar com essa "redescoberta" do zodíaco, assunto que ressurgiu das cinzas e ganha espaço a cada dia.  Como se isso não bastasse as mulheres, por algum motivo, adoram descer o cacete nos librianos.

-      -  E você, é de que signo?
-      -  Libra
-      -  Vixe!!
-      - Não, não sou de câncer, sou de Libra...
-      -  Câncer é bem legal, mas Libra, Libra não rola

Pois é meus caros, não foram poucas as situações onde a revelação do meu signo provocou caretas e olhares reprovadores.  Até Câncer ganha de Libra no sistema de castas astrológicas atualmente em vigor.

Se os librianos são os Dahlits (lembram de Caminho das Índias?), os geminianos querem ser os brâmanes.  Os "de Gêmeos" sempre fazem questão de divulgar seu signo como sinal de status, e congratulam seus "cosignianos" efusivamente. "Finalmente um geminiano!", devem pensar eles, não aguentava mais essa gentalha!

Como não poderia deixar de ser, comecei a ficar com raiva dos geminianos (menos dos meus amigos geminianos, pois a história da raiva do signo veio muito depois da construção do laço afetivo). Pior que a postura “we are the best, fuck the rest” dos geminianos, me indignava a passividade com que os de outros signos aceitavam a supremacia da raça geminiana (Áries tentou o mesmo no final da década de 30, sem sucesso), alguns mais submissos até os parabenizavam por ter um signo tão nobre.

Não mais! Chega! Librianos do mundo, uni-vos!!!  Munido de todo a informação disponível na wikipedia (100.000 vezes mais informação do que eu preciso para terminar esse post) segue um manifesto resgatando o orgulho de ser libriano.

Me beija que eu sou libriano* – um manifesto

Bom, pra começar, a Libra é o único signo que também é unidade monetária e unidade de massa. Não tem nome de doença (Câncer), e não se mete com jogo do bicho, uma contravenção penal (Touro e Leão).

Nós librianos somos filhos do réveillon (calculem nove meses após 1 de janeiro), ou do veraneio na casa de praia, fomos concebidos em época de festa e celebração.  Segundo a sempre confiável wikipedia, Libra faz parte dos signos de “Ar”, junto com Gêmeos (eles mesmos, os supostos brâmanes, são nossos irmãos na família dos signos aéreos), e Aquário (que devia estar vazio por ocasião do sorteio dos grupos, se não estaria nos signos de "Água").

A mulherada costuma dizer que os homens librianos são indecisos e que mudam de ideia toda hora (ou seja, mais cedo ou mais tarde o libriano vai dar-lhe um pé na bunda), mas no fundo acho que o motivo real é que rola um rancor com a história da balança, instrumento temido por algumas, que preferem passar longe. 

Segundo outro site qualquer que apareceu entre os primeiros na minha busca no Google, as qualidades dos librianos são a elegância, a diplomacia e a simpatia, enquanto que as "qualidades" dos geminianos são a adaptabilidade e versatilidade.  O libriano portanto, é um lorde, um gentleman, fino, educado e elegante (em suma, somos os "cavalheiros do zodíaco"), enquanto que o geminiano é um puta “Maria vai com as outras”, sem opinião própria.

Os "defeitos" do libriano são a hesitação, a necessidade de agradar e dificuldade de lidar com conflitos,  enquanto que os defeitos do geminiano são a racionalidade excessiva e a falta de comprometimento.  O libriano, portanto, não toma decisões precipitadas (é um cara sensato), recebe bem as visitas e condena a violência, enquanto que o geminiano é um baita coração de pedra e ainda por cima não entrega nada no prazo.

Esses geminianos só têm fama! Os librianos são os caras! Somos phynos, com PH e Y.

*o título do manifesto é um plágio descarado do nome de uma festa que acontece no Recife, chamada “Me beija que eu sou cineasta”.

Link para o texto "Babaquice tem cura?"