Monday, December 31, 2012

Negócios do Futuro - O "Resort Educacional"

Estava há pouco tempo a conversar com um amigo que tem um filho em idade escolar. No caso dele, que mora em São Paulo, o garoto está indo para o oitavo ano (antiga sétima série).  Acabamos discutimos um pouco sobre os custos e a "logística" envolvidos no processo de criar, manter e educar um pré-adolescente na maior cidade do país.

Alem da mensalidade de valor astronômico, um outro fato me chamou a atenção: O período é integral (não é assim em todas as escolas, mas este modelo vem crescendo na cidade). O garoto entra na escola às 8h e só sai às 18h, durante este período, alem de aulas também participa de atividades extra curriculares, como esportes, artes, etc.

Na visão de um economista está claro o que a escola está fazendo, ela está se apropriando de uma parcela maior do “share of wallet” dos pais do aluno, que, em vez de dividir seus gastos entre a escola, curso de inglês e academia (ou clube), acaba concentrando tudo em apenas uma fatura, e como vantagem adicional não têm que se preocupar com a sempre complicada logística de um filho pré-adolescente.

Em um tempo de pais cada vez mais ocupados e de uma percepção de risco maior dos pais em relação aos filhos (violência, conteúdo impróprio na internet, drogas, etc.), nada mais cômodo do que “terceirizar” seu pupilo durante o horário de expediente a uma instituição de confiança, mesmo que o preço de tal conforto seja um tanto salgado.  O próximo passo na busca pela maximização do share of wallet dos pais do aluno seria, sem dúvida, o internato.

O colégio interno já teve seus dias de glória, na época dos meus pais muitos dos filhos de endinheirados do interior iam estudar em Recife, onde eram internados nestas instituições. Algumas crianças e adolescentes da capital acabavam tendo o mesmo fim, normalmente como castigo, fruto de mau comportamento ou notas baixas. Todo o conceito do internato estava baseado na disciplina.  Normalmente comandado por padres ou freiras, o colégio  interno mantinha os alunos na rédea curta e, por isso mesmo, não é recordado pelos ex-alunos como um lugar do qual sintam saudades. Com o tempo a população se concentrou nas cidades, os pais começaram a se sentir tanto ou quanto culpados de "largar" seus filhos em internatos, e o modelo caiu em desuso.

Desta forma a volta do internato nos moldes tradicionais já não cabe na sociedade em que vivemos, para convencer pais e alunos a escolher esta opção faz-se necessário um conceito repaginado, o ”resort educacional”.

Ao contrário do que acontecia na década de 50, os pais não possuem mais autoridade completa sobre os destinos e escolhas dos seus filhos, além de terem criado, ao longo dos anos, uma crescente complacência em relação aos rebentos, talvez fruto da culpa que sentem por se considerarem ausentes para com a família. A internação forçada não seria mais aceita pela sociedade do novo milênio, e os pais provavelmente se tornariam párias em seu círculo social. O “resort educacional” precisa não só conquistar os pais, mas também atrair o filho.  O aluno precisa querer ser interno!!!

Para garantir um programa acadêmico consistente, que transmita aos pais a sensação de que seus filhos estão aprendendo e se desenvolvendo, é necessário o envolvimento no projeto de uma instituição de ensino conceituada e de qualidade inquestionável. Para garantir uma atmosfera encantadora ao aluno, que faça com que o mesmo se sinta como se estivesse em uma eterna colônia de férias, sentindo o mínimo possível de saudades do mundo exterior, é necessário o envolvimento no projeto de uma cadeia hoteleira de alto nível, nasce o Bandeirantes Marriott, o primeiro resort educacional do país:



“Localizado em Atibaia, o Bandeirantes Marriott traz comodidade aos pais bem sucedidos e atarefados do nosso tempo, mas que não abrem mão de uma boa educação para seus filhos. Ao invés de conviver com babás e motoristas, os alunos do BM têm à sua disposição professores, monitores e educadores com a mais alta qualificação nas mais diversas áreas de conhecimento, que incentivam os mesmos a explorar constantemente seu pensamento critico e raciocínio analítico.

No BM o aluno conta com acompanhamento 24 horas, pensão completa e monitoramento constante via internet para que os pais possam acompanhar cada passo dos seus filhos. O resort oferece, alem de um sólido programa acadêmico, uma gama interminável de atividades extra curriculares, que vão desde golfe até aulas de culinária com chefs consagrados. No Bandeirantes Marriott a otimização logística chega à perfeição, garantindo que o aluno não precise sair para nada, já que pode contar, entre outras coisas, com atendimento medico, odontológico e psicológico.

Criando uma atmosfera de perfeita integração com a paisagem bucólica, as charmosas e alegres acomodações do Bandeirantes Marriott oferecem muito conforto e comodidade aos alunos. São 363 unidades, entre apartamentos, suítes e bangalôs. Nas salas de aula, decoradas por Sig Bergamim, tudo foi pensado para proporcionar o ambiente perfeito para o aprendizado.

O resort oferece completa flexibilidade, permitindo que os pais ”solicitem“ seus filhos quando quiserem, seja para dormir em casa, passar o final de semana ou simplesmente encontrá-los para o jantar. O serviço de “transfer” do Bandeirantes Marriott entrega e recolhe o aluno onde os pais estiverem. Garantindo que pais e filhos convivam sempre que quiserem e não convivam sempre que não quiserem, promovendo um relacionamento saudável e feliz.

Bandeirantes Marriott resort educacional, seu filho em boas mãos.”



Obs - este é um texto meu de 2009, publicado aqui neste mesmo blog, revisado e atualizado.

 Curta o Post

 gostou do post? o boraver.com tem muito mais, curta o blog