Tuesday, December 18, 2012

José Mayer, o homem, a lenda...


"A primeira Helena que Zé Mayer pegou foi a de Tróia, e a partir daí não parou mais"
Autor desconhecido

José Mayer Drumond nasceu em 1949 na pequena cidade de Jaguaraçu, no interior de Minas Gerais.  Segundo o último senso do IBGE (2010) Jaguaraçu tinha cerca de 3 mil habitantes.

Segundo o historiador Renato Russo, desde cedo Mayer já mostrava suas habilidades como conquistador, segundo Renato, Mayer, "Comia todas as menininhas da cidade e de tanto brincar de médico, aos doze era professor."

Apesar de estar se dando bem em Jaguaraçu, Mayer sentia que era mesmo diferente, sentia que aquilo ali não era o seu lugar.  Ele queria sair para ver o mar e as coisas que ele via na televisão (o destino o levaria anos depois para o outro lado da telinha).

Sua estréia como ator ocorreu na década de 70, onde fez algumas pontas em filmes nacionais durante a famosa época da "porno-chanchada" (uma oportunidade de ouro para Mayer, que percebeu que seu talento de conquistador funcionava também com atrizes globais).  Com essa injeção de auto-estima, Mayer decidiu seguir sua vocação, e pouco a pouco foi construindo uma história repleta de conquistas, de dar inveja ao "Real Madrid".

Primeiras Conquistas

Em 1988, na novela Fera Radical, Mayer traçou nada menos Malu Mader, que estava no auge da carreira (um ano depois gravaria Top Model).  Em 1991 atuou em "Meu Bem, Meu Mal", e pegou a atriz e modelo Silvia Pfeifer.  Seu personagem, Ricardo Miranda, era amante de Silvia (Isadora Venturini).  Uma outra conquista que merece destaque nesta primeira fase do ator foi a de Adriana Esteves, em "A Indomada", aquela que se passava em Greenville, cidade próxima a  Cerro Azul.

A era Maneco

Já no início dos anos 90 ficava claro o 'faro de gol" de Mayer, era um artilheiro nato.  O que faltava para alavancar de vez as atuações de Mayer era um parceiro de ataque, um cara com habilidade para dar passes perfeitos, deixando o artilheiro de cara pro gol.

Assim como fizeram Assis e Washington no Fluminense, Ganso e Neymar no Santos, e Bebeto e Romário na seleção de 94, Manoel Carlos (o Maneco) e Mayer jogavam, e ainda jogam, por música (bossa nova, é claro).

A parceria começou em 1995 (na novela Uma História de Amor).  O personagem de Mayer é cortejado por Helena (olha ela aí), interpretada por Regina Duarte, além desta principal Mayer também fatura Carolina Ferraz. 

Se ainda haviam dúvidas sobre o futuro promissor de Mayer, seu fiel escudeiro Maneco ajudou-o a calar a boca dos críticos ao escrever a mini-série "Presença de Anita" em 2001.  O personagem de Mayer, Fernando, era casado com Lúcia Helena (quando não tem uma Helena "pura", Maneco apela pra Lúcia Helena ou Maria Helena), interpretada por Helena Rinaldi (que voltaria a ser vítima de Mayer alguns anos mais tarde), e acabou conquistando a bela Anita (Mel Lisboa). Tanto a atriz como a personagem tinham 19 anos.

Aqueles que haviam dito que Mayer era um galã em final de carreira haviam se enganado.  Mayer não era apenas um dos grandes pegadores de sua geração, seu encanto atravessava gerações. O artilheiro era versátil, seduzia quarentonas, adolescentes e balzaquianas com a mesma facilidade.  Parafraseando o ex presidente Getúlio Vargas, naquele momento Mayer saía da mini-série para entrar para a história.

Nosso herói estava então com 52 anos, mas para ele o jogo estava apenas começando.  No mesmo ano faturou mais uma Helena (Vera Fischer), fez um repeteco com Helena Rinaldi e traçou Deborah Secco (mais uma de 19 anos) em Laços de Família.  Um fato curioso é que nessa novela Helena era prima de Pedro, personagem de Zé Mayer (isso só confirma aquela velha teoria de que "primo não é parente").

Em 2003 a expectativa em torno da atuação de Mayer na nova novela de Manoel Carlos (Mulheres Apaixonadas) era grande.  Já consagrado como Don Juan brasileiro, Mayer atuaria em seu local preferido (Leblon), e contaria com as assistências precisas de Maneco.  A torcida esperava ansiosa por aquela que poderia ser a consagração final.

Mayer não se deixou abalar pela pressão e até superou a expectativa dos telespectadores.   Seu personagem César faz o que se esperava dele e traçou Helena (Regina Duarte), furando o olho do bonzinho Téo (Tony Ramos), e nas horas vagas arrumou tempo para faturar as personagens interpretadas por Carolina Casting, Cristiane Torloni e Camila Pitanga.  

De 2003 pra cá ele continua mostrando, novela após novela, que com Zé Mayer em campo não tem placar em branco e que, se a bola sobrar quicando na área, pode comemorar que é gol.  Além de mais uma Helena (Thais Araújo em Viver a Vida), Mayer se deu bem com Letícia Spiller, Danielle Winitz, Priscila Fantim, Juliana Paes, Giovanna Antonelli entre outras.

Por tudo isso, não tive dúvidas quando escalei José Mayer para o filme "Vicky, Cristina, Leblon" (ver post anterior).  Javier Bardem ainda tem muito o que aprender com o mestre...

Em homenagem ao centenário de Gonzagão, segue esse forrozinho que ilustra bem a situação:


Respeita "Josémaia" *

Quando eu voltei lá no Leblon
Eu quis mangar de Josémaia
Com meu porsche prateado
As atriz vinha de tuia, trás de mim era tudinho
era mulé pra todo lado
Mas logo que cheguei no Rio, tava ainda na Brasil
Já foram logo me dizendo:
"Do Leblon a Olaria, de Ipanema ao Alemão, Josémaia é o fodão!"
E foi aí que me falou meio zangado o Jamelão:
Bardem respeita Josémaia
Bardem respeita Josémaia
Bardem, tu pode ser famoso, mas zémaia é mais tinhoso
E com ele ninguém vai, Bardem, Bardem
Respeita as oito Helena do Zémaia
Respeita as oito Helena do Zémaia




*Paródia da música "Respeita Januário"de Luiz Gonzaga

4 comments:

  1. Helena3:33 PM

    é meu eterno amor

    ReplyDelete
  2. Clarisse3:35 PM

    primo, definitivamente, não é parente

    ReplyDelete
  3. Marcelo4:30 PM

    kkkkkkk, Pedrão, vc não existe, abs

    ReplyDelete
  4. Sheila Ximenes8:27 AM

    Não me chamo Helena mas tenho certeza que se Recife tivesse 1/3 de Mayers por ai, a vida seria mais divertida!!!! Gostei muito dos deste post e do anterior, Xico Sá está criando um sucessor...

    ReplyDelete